Um pão de banana vegano testado e aprovado! Perfeitamente macio e delicioso. Aproveite!

INGREDIENTES

• 1 3/4 xícaras (245 g) de farinha (espelta, trigo integral, não branqueada para todos os fins ou sem glúten) – eu uso a farinha de espelta integral orgânica.

• 1/3 xícara (75 g) de açúcar mascavo orgânico (ou 1/2 tâmaras finamente picadas).

• 2 colheres de chá de fermento em pó.

• 1/2 colher de chá de bicarbonato de sódio.

• pitada de sal mineral – eu uso o sal fino rosa do Himalaia.

• 1/3 xícara (75 ml) de óleo de sabor neutro (ou óleo de coco no estado líquido, ou manteiga vegana em temperatura ambiente) – eu uso o óleo de coco líquido.

• 1 colher de chá de extrato de baunilha.

• 4 bananas pequenas ou 3 grandes bem maduras (cerca de 1 1/2 – 1 3/4 xícaras (338-410g)).

• 1/4 xícara (56 ml) de leite de amêndoa, use apenas se necessário – eu uso leite de soja.

SUPLEMENTOS OPCIONAIS:

• 1/2 – 2/3 xícara de nozes picadas – eu gosto muito com nozes;

• 1/4 – 1/2 xícara de gotas de chocolate (mini ou regular); ou/e

• 1 colher de chá de canela.

MODO DE FAZER

  1. Pré-aqueça o forno a 180 graus Celsius.
  2. Unte a forma de pão (se você utilizar a forma de silicone, não precisa untar).
  3. Em uma tigela de tamanho médio / grande, misture a farinha, o açúcar, o fermento, o bicarbonato e o sal, e reserve.
  4. Em uma tigela média, amasse as bananas.
  5. Adicione o óleo, a baunilha e as bananas aos ingredientes secos e misture até incorporar, mas não misture demais.
  6. Se a mistura parecer muito grossa, adicione o leite de amêndoa ou outro leite de origem vegetal de sua preferência (especialmente se usar farinhas mais pesadas, como trigo integral ou espelta integral, você provavelmente precisará adicionar leite).
  7. Despeje a massa em uma forma de pão untada.
  8. Asse por cerca de 50 min – 1 hora. Os fornos variam, o meu normalmente leva 50 minutos. Você também pode verificar colocando um palito de dente ou garfo no centro do pão, se sair limpo significa que está pronto.
  9. Retire do forno e deixe esfriar por 10 minutos antes de fatiar.
  10. Retire do forno e deixe esfriar por 10 minutos antes de fatiar.

Conservar tampado no balcão por até 3 dias ou na geladeira por até 1 semana. Mantenha no freezer por até 2 meses. Descongele os pães embrulhados durante a noite na geladeira. Reaqueça no microondas ou na torradeira com porta.

NOTAS

  • Autor: Julie | The Simple Veganista
  • Tempo de preparação: 10 minutos
  • Tempo de cozimento: 50 min – 1 hora
  • Tempo total: 1 hora e 15 minutos
  • Rendimento: 8 – 10 fatias
  • Categoria: Pão Rápido
  • Método: assar
  • Cozinha: Americana
  • Dieta: Vegana

Receita original obtida em: https://simple-veganista.com/vegan-banana-tea-bread/



A tried and true vegan banana bread! Perfectly moist and delicious. Enjoy!

INGREDIENTS

  • 1 3/4 cups (245 g) flour (spelt, whole wheat, unbleached all-purpose, or gluten free blend) – I use organic wholemeal spelt flour.
  • 1/3 cup (75 g) organic pure cane sugar (or 1/2 finely chopped dates).
  • 2 teaspoons baking powder.
  • 1/2 teaspoon baking soda.
  • Pinch of mineral saltI use the fine pink Himalayan salt.
  • 1/3 cup (75 ml) neutral flavoured oil (or coconut oil in liquid state, vegan butter at room temperature) – I use liquid coconut oil.
  • 1 teaspoon vanilla extract.
  • 4 small or 3 large overripe bananas (about 1 1/2 – 1 3/4 cups (338-410g)), mashed.
  • 1/4 cup (56 ml) almond milkuse only if needed – I use soy milk.

OPTIONAL TASTY ADD-INS:

  • 1/2 – 2/3 cup chopped walnutsI really like with walnuts;
  • 1/4 – 1/2 cup chocolate chips (mini or regular);
  • 1 teaspoon cinnamon.

INSTRUCTIONS

  1. Preheat oven to 180 degrees C;
  2. Grease your loaf pan (or not, if you use a silicone loaf pan);
  3. In a medium/large size bowl, combine flour, sugar, baking powder, baking soda and salt, set aside.
  4. In a medium bowl, mash bananas.
  5. Add the oil, vanilla and bananas to the dry ingredients and mix until combined, do not over mix.
  6. If mixture seems too thick, add the almond or other plant based milk of your preference (especially if using heavier flours such as whole wheat or whole spelt, you’re more inclined to need it).
  7. Pour batter into a greased loaf pan (or silicone loaf pan).
  8. Bake for about 50 min – 1 hour. Ovens vary, mine usually takes 1 hour. You can also do the toothpick test in the center of the loaf, if it comes out clean it should be ready.
  9. Remove from oven and let cool for 10 min before slicing.

Store covered on the counter for up to 3 days or in the refrigerator up to 1 week. Keep in the freezer for up to 2 months. Thaw the wrapped loaves overnight in the refrigerator. Reheat in the microwave or a toaster oven with a door.

NOTES

  • Author: Julie | The Simple Veganista
  • Prep Time: 10 minutes
  • Cook Time: 50 min – 1 hour
  • Total Time: 1 hour 15 minutes
  • Yield: 8 – 10 slices
  • Category: Quick Bread
  • Method: bake
  • Cuisine: American
  • Diet: Vegan

Retrieved from: https://simple-veganista.com/vegan-banana-tea-bread/



“Sua noite escura pode ser um rito de passagem. Pode ser uma oportunidade de dar uma guinada significativa em sua vida. Não é fácil fazer essas mudanças, principalmente porque elas exigem que você entre no desconhecido. Talvez você precise cavar fundo em seus recursos – suas experiências passadas, seu aprendizado, as qualidades pessoais que você já desenvolveu – então a noite escura o faz ir a fundo.” Thomas Moore, Dark Nights of the Soul: um guia para encontrar seu caminho através das provações da vida.

Eu tenho a sensação de que nos últimos meses estamos passando coletivamente por uma ‘noite escura da alma’. Nós estamos sendo chamados a fazer uma pausa (ou devo dizer que fomos forçados a fazer uma pausa) e olhar ao nosso redor e dentro de nós mesmos. Estamos sendo chamados a redirecionar e/ou reinventar nossas vidas em muitos níveis – mental, emocional, físico, espiritual, financeiro e ambiental.

Para mim, pessoalmente, está sendo um momento de profunda revisão, reflexão e contemplação. Eu decidi usar este grande empurrão do universo como uma oportunidade para redirecionar a minha vida para o meu ‘verdadeiro norte’, embora eu ainda não tenha certeza para onde estou caminhando (eu senti o empurrão, mas ainda não consigo ver totalmente a estrada à minha frente).

Eu vejo a ‘noite escura da alma’ como este lugar/ tempo intermediário. Nós deixamos o nosso lugar ou o nosso eu seguro e confortável (por escolha, acaso ou força) e ainda não chegamos totalmente à nova paisagem interna ou externa. Podemos nos sentir vazios, com medo, inseguros, incertos, duvidosos e muito vulneráveis. Também podemos às vezes sentir muita tristeza e dor emocional/ mental. É como se estivéssemos suspensos no ar, sem saber quando, onde e como vamos pousar.

Um dos remédios que eu utilizo para me sustentar nessas noites escuras da alma é a Oração. Recentemente, eu encontrei uma bela oração que realmente revelou como me sinto neste momento, escrita por Sue Monk Kidd em seu livro When the Heart Waits, e gostaria de compartilhá-la com vocês (uma nota sobre a palavra Deus: sinta-se à vontade para substituí-la por qualquer outra palavra que tenha mais significado para você – Universo, Fonte, Força Vital, Consciência Amorosa, Espírito, Fluxo, Mãe Natureza, Deusa, etc).

     “Deus, eu não quero viver falsamente, em prisões auto-impostas e padrões fixos e confortáveis ​​que limitam minha alma e diminuem a verdade em mim. Muito de mim foi para o subterrâneo. Eu quero deixar minha alma escapar. Eu quero ser livre para arriscar o que é verdade, para ser eu mesma. Liberte a ousadia em mim – a vontade de ir para dentro, de ver as mentiras sobre mim mesma. Eu tentarei fugir, mas não deixe. Não me deixe sufocar com a prudência que restringe a revisão criativa da vida e a jornada em direção à totalidade.

     Eu estou com medo, Deus. Faça-me corajosa. Conduza-me aos enormes espaços do tornar-se. Ajude-me a cessar o pequeno e tedioso trabalho de manutenção e proteção para que eu possa quebrar as máscaras que obscurecem o brilho do seu rosto na noite de minha própria alma. Ajude-me a desenvolver a minha alma e arriscar tornar-me a pessoa que você me criou para ser.

     Amanhã posso me arrepender dessas palavras, mas esta noite eu as falo, pois sei que você está em algum lugar dentro delas, que me ama e não me deixará sozinha em seus ecos”.

Que assim seja!

Com amor,

Cris



“Your dark night may be a rite of passage. It may be offering an opportunity to make a significant turn in your life. It isn’t easy to make these turns, largely because they demand that you enter the unknown. You may have to dig deep into your resources – your past experiences, your learning, the personal qualities you’ve already developed – so the dark night takes you deep.” Thomas Moore, Dark Nights of the Soul: A Guide to Finding Your Way Through Life’s Ordeals

I feel that we have been going through a collective ‘dark night of the soul’ over these past months. We are being called to pause (or should I say we were forced to pause) and look around ourselves and within ourselves. We are being called to redirect and/or reinvent our lives on so many levels – mentally, emotionally, physically, spiritually, financially, and environmentally. 

For me personally, it has been a time of deep revision, reflection and contemplation. I decided to take this big push from the universe as an opportunity to redirect my life to my ‘true north’, even though I am not yet sure where I am going to (I sensed the pull, but I cannot yet fully see the road ahead of me). 

I see the ‘dark night of the soul’ as that place/time in between. We have left our safe and comfortable place or self (by choice, chance or force) and we have not yet fully arrived at the new landscape within or without. We may feel empty, scared, unsure, uncertain, doubtful and very vulnerable. We can also sometimes feel a lot of grief and emotional/ mental pain.  It is like we are held up in the air, not knowing when, where and how we will land. 

One of the remedies I use to support myself during these dark nights of the soul is Prayer. Just recently I came across a beautiful prayer that really revealed how I feel right now, written by Sue Monk Kidd in her book When the Heart Waits, and I would like to share it with you (a note on the word God: please feel free to replace it with any other word that has the most meaning for you, such as Universe, Source, Life Force, Loving Awareness, Spirit, Flow, Mother Nature, Goddess, etc). 

God, I don’t want to live falsely, in self-imposed prisons and fixed, comfortable patterns that confine my soul and diminish the truth in me. So much of me has gone underground. I want to let my soul out. I want to be free to risk what’s true, to be myself. Set free the daring in me – the willingness to go within, to see the self-lies. I’ll try to run away, but don’t let me. Don’t let me stifle myself with prudence that binds the creative revisioning of life and the journey toward wholeness. 

I am scared, God. Make me brave. Lead me into the enormous spaces of becoming. Help me cease the small, tedious work of maintaining and protecting so that I can break the masks that obscure your face shining in the night of my own soul. Help me to green my soul and risk becoming the person you created me to be. 

Tomorrow I may regret these words, but tonight I speak them, for I know that you’re somewhere inside them, that you love me and won’t leave me alone in their echo”. 

And so be it!

With love, 

Cris